Retina e Vítreo


A Retina é uma fina camada de tecido nervoso que recobre o fundo do olho. Ela é responsável por transformar a luz captada em estímulos nervosos e transmiti-los ao cérebro por meio do nervo ótico. Em outras palavras, a Retina pode ser comparada aos antigos filmes de máquinas fotográficas, que registravam as imagens.

Já o Vítreo, é uma estrutura transparente e gelatinosa, composta por água e sais, que preenche aproximadamente ¾ do volume interno do olho. Determinados problemas de saúde ou traumas podem afetar essa região e causar cegueira se não forem devidamente tratados a tempo. 




Principais problemas que atingem a Retina e o Vítreo

idade acima dos 50 anos, altos graus de miopia e infecções no olho podem levar ao descolamento de Vítreo. Moscas volantes – enxergar pequenas manchas escuras que se movem constantemente – e ver flashes de luz nos cantos da visão estão entre os principais sintomas desse problema. Isoladamente, o descolamento de Vítreo não acarreta problemas graves. No entanto, em alguns casos, pode provocar rasgos na Retina e causar Descolamento de Retina, o que é grave e necessita de tratamento especializado urgente. Por isso, ao perceber sintomas de descolamento de Vítreo, é recomendado procurar um médico oftalmologista especialista em Retina.

Ocorre quando a Retina separa-se da parede interna do olho, ocasionando a morte das células que são nutridas por essas camadas. Isso pode acarretar graves prejuízos à visão e, por isso, é recomendado procurar com urgência um oftalmologista. Os principais fatores que levam a Retina a se descolar do fundo do olho são: altos graus de miopia, degeneração da retina, descolamento de Vítreo e histórico familiar de descolamento de Retina. Perder a visão de repente e sem qualquer dor, perceber manchas, flashes de luz ou moscas volantes na visão periférica estão entre os sintomas do descolamento de Retina. Apenas um exame oftalmológico chamado “Mapeamento de Retina” pode diagnosticar o descolamento. Se ainda estiver no início, procedimentos de fotocoagulação, feitos com raio laser, podem ajudar no tratamento, evitando que o problema aumente. Casos mais avançados só podem ser tratados com cirurgias.

Principal causa de cegueira na população adulta (de 19 a 60 anos de idade), a Retinopatia Diabética tem como principais sintomas: visão embaçada, visão dupla, dificuldade para ler, perda de visão periférica e ocorrência de manchas na visão – os sintomas podem demorar muitos anos para aparecer, por isso é aconselhável consultar um oftalmologista constantemente. A Retinopatia Diabética é caracterizada por alterações nos vasos sanguíneos da retina, causadas pela hiperglicemia persistente por longo tempo. Essas lesões podem levar ao acúmulo de fluido na área central da retina, que é chamado de edema macular. Além disso, os vasos sanguíneos da Retina também podem ficar obstruídos progressivamente, o que impede o fluxo de sangue. Assim, surgem áreas isquêmicas que levam a formação de novos vasos, muito mais frágeis que o normal, que estão relacionados a graves complicações como hemorragia vítrea e descolamento tracional da retina, levando à cegueira. Pacientes com diabetes devem ser examinados anualmente pelo oftalmologista, pois os sintomas da retinopatia podem demorar anos para aparecer. Identificar a doença em seu estágio inicial é extremamente importante para preservar a boa visão.

Suas alterações acontecem sob a retina. As causas da DMRI ainda não são totalmente esclarecidas. Normalmente, ela apresenta sintomas como embaçamento na visão central e pontos cegos no campo visual. A DMRI pode ser Seca ou Úmida. A DMRI Seca contabiliza 90% dos casos de Degeneração Macular. Sua característica é o acumulo de substâncias do metabolismo celular sobre as células receptoras de luz na Mácula. Na DRMI Úmida, vários vasos sanguíneos crescem sobre a Mácula e podem causar hemorragias que prejudicam muito a visão. O tratamento mais eficaz é com a utilização de medicamentos.


Informações

Para ter mais informações sobre Retina e Vítreo, consulte o site da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo.

Lembre-se: Essas informações visam esclarecer o público e não substitui a avaliação de um médico oftalmologista, que é o único profissional capacitado para realizar um diagnóstico preciso e indicar o tratamento adequado para cada caso. Portanto, não pratique a automedicação e procure sempre o seu médico.


Banner Especialidades 2


O QUE DIZEM
DEPOIMENTOS


A equipe do Horp me acolheu de forma espetacular. Eu usava óculos desde os 4 anos de idade, pois tinha 8 graus de miopia. Após uma cirurgia para colocar lentes refrativas, deixei de usar óculos. É uma cirurgia tranquila, assim como o pós-cirúrgico. Basta apenas tomar muito cuidado e fazer o que os médicos aconselham que dará tudo certinho! Muito obrigada a toda a equipe por me acolherem tão bem, serei eternamente grata por terem me ajudado a voltar a enxergar normalmente!

Juliana Adolfo Alaminos

Tenho maior carinho e admiração pelos médicos. Quando levo minha filha para uma consulta, fico observando a dedicação e o zelo apresentado pelo paciente. Minha filha, que mora em São Paulo, faz questão de ser consultada no Horp.

Milca Barbosa

O Horp é simplesmente maravilhoso. Os médicos sempre se mostram dedicados e amigos, além de apresentar muito conhecimento e investir em aparelhos tecnológicos. Parabéns, Horp, pelo seu comprometimento com as pessoas. Sou paciente desde meus 8 anos de idade e sempre fui muito bem atendida.

Janaína Morelli

Todos os médicos que já me atenderam foram maravilhosos. O primeiro médico que me consultei, percebeu minhas necessidades e me direcionou ao especialista certo, que teve paciência e muita atenção comigo. Recentemente, fui atendida por um médico na emergência, que se mostrou extremamente atencioso, gentil e dedicado. O Horp é 10! Agradeço muitíssimo essa equipe!

Messênia Cristina Munhato

Eu e toda minha família cuidamos dos nossos olhos no Horp há muitos anos. Sentimos muita empatia por todo corpo clínico, secretárias e demais funcionários. Na nossa opinião, o Horp merece todas as estrelas do céu porque sem seus médicos, nós não estaríamos enxergando-as tão reluzentes.

Ângela Perozim

Nunca tinha desenhado nada na minha vida, mas, pelo meu filho, faço tudo e mais um pouco. Então, criei um desenho para cada dia, incentivando meu pequeno a usar os protetores oculares. O tratamento de ambliopia vai acabar logo e, durante todos esses dias, vou desenhar cada tampão com muito carinho. Obrigada, equipe Horp, por todo a dedicação no tratamento do meu filho.

Tamiris Alves