18/05/2016 00:00:00

Catarata: problema típico da terceira idade tem cura

Cirurgia recupera visão com qualidade


Existem alguns problemas de saúde que atingem, principalmente, os idosos, entre eles está a Catarata. Ela surge quando o cristalino, uma lente natural que existe dentro dos olhos, logo atrás da íris (a parte colorida do olho), perde sua transparência. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a Catarata é responsável por cerca de 45% dos casos de cegueira reversível no mundo. No entanto, com a substituição dessa lente, por meio de uma cirurgia, é possível recuperar a visão com qualidade.

O médico oftalmologista Victor Bastos Navarro da Cruz Filho, especialista em Catarata do Horp, explica que essa patologia é indolor e surge devido ao processo natural de envelhecimento. “O cristalino é uma lente natural que serve para focar a imagem na retina. Até os 40 anos, o cristalino tem a função de mudar o foco da imagem. Após essa idade, é comum perder o foco para perto, isso é um primeiro sintoma do envelhecimento do cristalino, mas ainda não é a Catarata. Ela surge, geralmente, após os 60 anos e só é possível resolver com cirurgia”, explica.

Visão embaçada ou desbotada e alteração contínua do grau nos óculos estão entre os principais sintomas. “Em sua fase inicial, a Catarata somente é diagnosticada por meio de exames clínicos. É muito difícil perceber apenas olhando superficialmente”, afirma o médico.

No entanto, pessoas mais jovens também podem desenvolver a Catarata. Diabetes, traumas oculares e uso de drogas com corticoide podem levar ao desenvolvimento da Catarata antes do tempo. “Bebês também podem ter a chamada Catarata Congênita caso a mãe tenha uma infecção ou a criança nasça com alguma doença metabólica. Mas, esses casos são pouco comuns”, conta.

O oftalmologista explica que a cirurgia consiste na remoção e substituição do cristalino opaco por uma lente intraocular. “A Catarata é fragmentada em pequenos pedaços e aspirada por um aparelho chamado facoemulsificador. Em seguida, a lente intraocular, que é dobrável, é inserida. É um procedimento microscópico muito seguro e o corte é muito pequeno, cerca de dois milímetros”, diz.





ULTIMAS
NOTÍCIAS