06/10/2016 00:00:00

Como identificar os tipos de olheiras e como tratá-las

É indicado seguir as orientações médicas antes de adquirir qualquer cosmético ou realizar tratamentos estéticos


Para quem sofre com as famosas olheiras, o kit “salva vidas” está sempre por perto – óculos escuro, corretivo, chá de camomila e por aí vai. É que, quando o assunto é tirar aquele aspecto de cansaço do rosto, tudo é válido.

No entanto, existem tratamentos estéticos seguros para sanar esses incômodos. Por isso, saber identificar os tipos de olheiras é importante já que essas manchas podem surgir por fatores genéticos ou serem adquiridas ao longo do tempo.

A oftalmologista Daniela Sanchez Monteiro de Barros, especialista em plástica ocular do Horp, explica que o aspecto escurecido das olheiras traz ao semblante dos pacientes uma imagem cansada, triste e, até mesmo, depressiva. “Essas são as principais queixas dos pacientes, acarretando, muitas vezes, em prejuízo na qualidade de vida e autoestima deles”, afirma.

Tipos de olheiras

  • Excesso de pigmentação na região dos olhos: característica encontrada, principalmente, em pacientes de pele morena ou portadores de alergia crônica. A exposição solar pode piorar esse efeito e o tratamento indicado é a associações de técnicas cosméticas e a laser, principalmente.
  • Bolsas de gorduras nas pálpebras inferiores: é a grande responsável pelo aspecto de “sombras”, ou seja, olheiras nas pálpebras inferiores. Esse tipo pode ser facilmente corrigido por meio de duas modalidades terapêuticas: tratamento cirúrgico (por meio da retirada cirúrgica das bolsas de gorduras) e preenchimento com ácido hialurônico (age como restaurador de volume nas áreas depressivas – “aparente sombras”).
  • Olhos fundos: secundários a uma anatomia profunda das órbitas. Nesses casos, a pele ao redor dos olhos fica muito próxima aos vasos sanguíneos, que nutrem essa área, e a imagem escurecida é o resultado da visualização dos mesmos quase que por transparência da pele que os cobrem. O tratamento é realizado com preenchimento das olheiras por meio da reposição volumétrica com o ácido hialurônico, além de simples, constitui um excelente aliado a fim de devolver um resultado natural e um aspecto descansado à face.
  • Osso zigomático e lacrimal saliente: configuração anatômica anteriorizada (projetada para frente) dos ossos que formam parte da sustentação dos olhos. O tratamento é por meio da estruturação facial com reposição volumétrica com ácido hialurônico, responsável pela devolução e manutenção do formato tridimensional da face, com ênfase na melhora significativa no aspecto “triste” dos olhos.

Ter um diagnóstico preciso resulta apenas em benefícios ao paciente. Por isso, é sempre indicado seguir as orientações médicas antes de adquirir qualquer cosmético ou realizar tratamentos estéticos. “Um acompanhamento periódico anual com especialistas significa tranquilidade e uma vida saudável para seus olhos, associado ao bem-estar secundário: uma aparência rejuvenescida para sua face”, diz Daniela.





ULTIMAS
NOTÍCIAS