31/08/2016 00:00:00

Dormir de olhos abertos é sinal de alerta

A principal consequência de dormir com os olhos abertos é o ressecamento ocular.


Unir as pálpebras superiores às inferiores para desfrutar daquele merecido sono é algo normal para a maioria das pessoas. Contudo, há quem tenha dificuldades para fazer isso. Dormir de olhos abertos parece um fato improvável, mas pode acontecer em decorrência de alguns problemas, como a exoftalmia e a lagoftalmia noturna.

A exoftalmia pode atingir pessoas de qualquer idade e consiste na projeção dos olhos para a frente. Com isso, a pálpebra tem dificuldade em se fechar completamente. Normalmente, essa desordem é relacionada a casos de tumores, infecções, problemas vasculares no globo ocular, hipertireoidismo ou cirurgias plásticas malsucedidas.

Quando os olhos estão posicionados corretamente e, ainda assim, a pessoa tem dificuldade em fechá-los, os médicos denominam como lagoftalmia. Quando a pessoa dormir de olhos abertos, trata-se da lagoftalmia noturna. Ela acontece por dois motivos: problemas no músculo orbicular ou paralisia no nervo facial, na maioria dos casos causada por hanseníase.

A principal consequência de dormir com os olhos abertos é o ressecamento ocular. Como a córnea é um tecido que não possui irrigação sanguínea, ela é alimentada pelas lágrimas. Quando a pessoa não consegue fechar os olhos, a córnea deixa de ser lubrificada e torna-se vulnerável a inflamações causadas por vírus, bactérias ou fungos, o que pode resultar em úlceras de córnea e até cegueira.

Tratamentos

Com o diagnóstico do oftalmologista, cada pessoa recebe o tratamento adequado. Se a exoftalmia for decorrente de hipertireoidismo, o paciente é encaminhado para um médico endocrinologista, que pode receitar medicamentos para controlarem a glândula tireoide. Se os olhos estiverem projetados para frente devido a infecções ou tumores, o tratamento pode ser com antibióticos ou cirurgias. Dependendo do caso, a lagoftalmia pode ser tratada com colírios lubrificantes, exercícios para as pálpebras ou cirurgia.





ULTIMAS
NOTÍCIAS