21/09/2016 00:00:00

É um erro acreditar que o estrabismo desaparece com o crescimento

Quanto mais ágil for o tratamento, melhores serão os resultados


Popularmente chamado de vesgueira, o estrabismo consiste no desalinhamento de um ou dos dois olhos. O distúrbio, que normalmente surge nos primeiros anos da infância, deve ser tratado nesse mesmo período da vida, pois não desaparece com o crescimento. Além de ser um grande problema estético, até motivo de bullying, o estrabismo também pode provocar danos no campo visual da pessoa.

O oftalmologista Ronald Broner, especialista em estrabismo do Horp, explica que, normalmente, os olhos fixam a visão em um ponto e o cérebro faz a fusão das duas imagens. “Quando um dos olhos está desviado, imagens diferentes chegam ao cérebro e, por isso, não há uma fusão adequada. Dessa forma, a imagem proveniente do olho desviado começa a ser ignorada pelo cérebro, levando à perda da noção de profundidade e à ambliopia, que é a chamada de visão fraca ou preguiçosa”, explica.

Para evitar maiores problemas de visão provocados pelo estrabismo, assim que for percebido o desalinhamento dos olhos, os pais devem levar a criança à uma consulta com um médico especialista em oftalmopediatria. “É um engano pensar que o estrabismo some com o tempo. Essa espera pode intensificar outros problemas de visão. Por isso o tratamento deve se iniciar o quanto antes”, explica o médico.

Diversos fatores também podem ocasionar estrabismo nos adultos, como doenças neurológicas, diabetes ou acidentes. “Mesmo quando o estrabismo se desenvolve na idade adulta, há tratamento. Quanto mais ágil for o tratamento, melhores serão os resultados”, diz o médico.

Segundo o oftalmologista, o tratamento para corrigir o estrabismo pode envolver uso de óculos, colírios, tampão, fisioterapia para os olhos, aplicação de toxina botulínica ou, em alguns casos, cirurgia. “O objetivo do tratamento é corrigir o posicionamento dos olhos. Em caso de cirurgia, o procedimento é executado apenas nos músculos que controlam o movimento dos olhos, fazendo com que eles fiquem na posição adequada. A internação é de apenas um dia e a recuperação leva em torno de 15 dias”, comenta.





ULTIMAS
NOTÍCIAS