23/03/2016 00:00:00

Teste do olhinho: essencial para todos os bebês

Teste deve ser feito até os 2 anos de idade


Você sabia que os bebês não nascem sabendo enxergar? Isso mesmo. Assim como eles irão aprender a engatinhar e a andar, as crianças também irão adquirir a visão ao longo dos primeiros anos de vida. Por isso, para detectar alterações oculares como catarata, tumores, malformações e infecções congênitas, é muito importante realizar o teste do olhinho logo após o nascimento. Com esse exame, é possível iniciar o tratamento precocemente, o que aumenta significativamente as chances de cura.

Segundo a oftalmologista Karina Shimizu, do departamento de pediatria do HORP, o teste do olhinho é normalmente realizado por um pediatra, ainda na maternidade. “O exame é muito simples e completamente indolor. O médico aponta uma luz no olho do bebê e verifica a cor do reflexo. Quando o reflexo é vermelho e homogêneo, significa que o olho está normal, mas quando fica branco, indica algum tipo de doença. Nesse caso, é imprescindível o encaminhamento para um especialista”, diz a médica.

A oftalmologista explica que é importante realizar o teste do olhinho mais de uma vez. “De acordo com a recomendação da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), é importante refazer o teste do olhinho a cada seis meses até a criança completar dois anos de idade. A partir daí, é necessário realizar um exame mais completo que englobe refração e fundo de olho, por exemplo”, explica.

Segundo Karina, a catarata congênita, que é a opacidade da lente natural que existe nos olhos, é um dos principais problemas descobertos pelo teste do olhinho. “Há casos em que é preciso fazer uma cirurgia com certa urgência para remover a lente natural dos olhos”, afirma.





ULTIMAS
NOTÍCIAS